fbpx

Síndrome de burnout e esgotamento nervoso: o que são, sintomas e como pedir uma baixa

Imagem destaque artigo burnout

Cada vez se ouve falar mais em Burnout, sabe o que é? Neste artigo, a psicóloga Patrícia Madeira, esclarece algumas questões sobre este tema e iremos compreender melhor quais os sintomas, qual o seu tratamento, estratégias para reequilibrar o organismo no seu todo, as consequências e o impacto que pode ter ao nível psicológico, emocional e físico e as ajudas a que é possível recorrer nestes casos.

Atualmente ouve-se cada vez mais falar em Burnout. Temos assistido à introdução deste conceito gradualmente. Hoje em dia está mais difundido. Nem todos os manuais clínicos o integram com este mesmo nome. Ainda assim é necessário estar atento aos sintomas e perceber quando é que se está perante um estado de Burnout, mas mais importante ainda, estar alerta de forma a prevenir esta síndrome.

O que é síndrome de Burnout (SB)?

Apesar de sabermos, através de múltiplos estudos que têm sido realizados neste âmbito e que indicam várias características a ter em conta nesta questão do Burnout, é essencial que se esteja atento aos sinais para, se possível, não desenvolver esta síndrome. No entanto, caso se desenvolva, é fundamental saber o que se poderá fazer. A Síndrome de Burnout (SB) está relacionada com o contexto laboral e do impacto desse mesmo contexto na vida da pessoa, de modo, prejudicial.

O burnout é uma síndrome que está relacionada com o contexto laboral.

Através de vários estudos, é possível caracterizar a SB por exaustão emocional e sentimentos de distanciamento em relação às pessoas (despersonalização) e redução da realização pessoal, que resultam de stress crónico no local de trabalho. Esta síndrome não está necessariamente relacionada com o excesso de trabalho, mas sim pela relação com questões profissionais.

Banner Anima PR - Sente animafort

Esta síndrome não está associada apenas aos profissionais de saúde como também a outras áreas de atuação laboral que provoquem determinados impactos. Iremos compreender melhor, ao longo deste artigo, quais os sintomas da SB, qual o seu tratamento, estratégias para reequilibrar o organismo no seu todo, as consequências e o impacto que pode ter ao nível psicológico, emocional e físico e as ajudas a que é possível recorrer nestes casos.

Burnout é o mesmo que esgotamento nervoso?

Na área da Psicologia, os Psicólogos regem-se principalmente pelo DSM-V (Manual de Diagnostico e Estatística das Perturbações Mentais) que não contempla a SB como doença. No entanto, estão inseridas nesse mesmo manual diversas patologias/perturbações nas quais é possível verificar a sintomatologia presente na chamada SB. Neste sentido, encontramos outras perturbações com esses sintomas, apenas com nomes distintos.
Por outro lado, e recentemente, na Classificação Internacional de Doenças (CID-11), incluíram na última revisão, a categorização da Síndrome de Burnout ou Síndrome do Esgotamento Profissional.
De acordo com a CID-11, esta síndrome é caracterizada por três dimensões:

  1. Sensação de esgotamento ou esgotamento de energia;
  2. Aumento da distância mental do trabalho ou sentimentos de negativismo ou cinismo relacionados ao trabalho; e
  3. Redução da eficácia profissional.

Nesta ótica, esgotamento nervoso está incluído na SB.

Homem cansado

Quais são os sintomas do Burnout?

Os sintomas são variados, desde sintomas físicos a sintomas psicológicos e emocionais, como por exemplo:

  • Dores de cabeça,
  • Enxaquecas;
  • Cansaço;
  • Pessimismo;
  • Dores musculares;
  • Insónias;
  • Distúrbios gastrointestinais;
  • Desânimo;
  • Alterações de humor;
  • Alterações no apetite;
  • Isolamento; Irritabilidade;
  • Dificuldade de concentração;
  • Lapsos de memória;
  • Angústia;
  • Ausências no trabalho;
  • Agressividade;
  • Sintomas de Ansiedade e Depressão;
  • Stress constante prolongado no tempo.

Qual o tratamento?

O tratamento para o Burnout deve ser variado.
É importante iniciar psicoterapia e em alguns casos é necessário associar igualmente com a psiquiatria, através do auxílio farmacológico. De realçar questões como: alimentação, exercício físico e relaxamento devem estar presentes. Outras áreas alternativas podem também ser ferramentas complementares.

Mulher caminhando

Como ultrapassar? Dicas

Para se ultrapassar o Burnout é necessário alguns recursos.
A pessoa que está a passar por Burnout deverá fazer uma reflexão acerca do que está a contribuir para o desenvolvimento do Burnout e agir nesse sentido, tanto quanto possível. É claro que este trabalho poderá ser mais fácil com a ajuda de um profissional de saúde, como um(a) Psicólogo(a) e/ou Psiquiatra.

Caso sejam possíveis mudanças reais no contexto laboral, torna-se mais fácil colmatar as consequências que daí advieram e proporcionar uma “nova vivência” laboral. É possível continuar a trabalhar na mesma empresa, desde que a SB seja ultrapassada com sucesso. Tal implica compreender e agir sobre o que provocou o desenvolvimento dessa mesma síndrome.

Conforme já frisado, é importante recorrer a ajuda profissional (área da Psicologia e/ou Psiquiatria) de forma a encontrar estratégias adequadas e funcionais face ao stress vivenciado e dotar a pessoa de ferramentas importantes de modo a suprimir desafios que vá encontrando, treinando igualmente a resiliência.

Investir nas necessidades básicas de forma a estarem satisfeitas, investir no autocuidado, nutrir-se adequadamente (em termos de alimentação e não só); prática de exercício físico (de extrema importância para a libertação de stress e ativação de outros neurotransmissores responsáveis pelo bem-estar); equilíbrio entre vida pessoal e vida profissional; caminhadas ao ar livre; prática de mindfulness e técnicas de relaxamento são essenciais.
Na maioria, este conjunto de práticas estão disponíveis a qualquer pessoa. Fazer o que está ao alcance da própria pessoa é ótimo, mas pode não ser o suficiente e por isso, existem profissionais de saúde que podem ajudar a ultrapassar situações como estas.

De realçar, vários estudos indicam que existem dois grandes grupos de fatores que fazem a diferença:

  • fatores situacionais (características organizacionais ou inerentes ao trabalho desenvolvido) e
  • fatores individuais (característicos pessoais).

A SB é resultado de stress crónico e consequência de uma rotina de trabalho, onde existem principalmente pressões excessivas, conflitos, turnos laborais, baixas recompensas emocionais e pouco reconhecimento.
Agir e produzir mudança nestas duas grandes influências é a chave para um melhor equilíbrio.

<< Leia também É possível tratar a ansiedade naturalmente?>>

Consequências do Burnout

O Burnout tem consequências físicas, emocionais e psicológicas, entre elas:

  • diminuição da autoestima;
  • perda de sentido de humor;
  • despersonalização,
  • insegurança;
  • dores musculares e dores de cabeça;
  • apatia, consequente falta de energia;
  • sentimentos de culpa;
  • desvalorização;
  • distorção de valores, sintomas de ansiedade e de depressão, alterações da memória, cansaço extremo; problemas no sono; catastrofização, irritabilidade; em casos mais graves poderão existir pensamentos acerca da morte e risco de suicídio.

O Burnout desenvolve-se a partir de questões ligadas ao contexto laboral e extrapola para outros contextos, impactando a vida pessoal, social e familiar da pessoa.

A quem e como solicitar uma baixa médica para SB?

O nome técnico de baixa médica é: Certificado de Incapacidade Temporária para o trabalho (CIT). Esta emissão é realizada pelos médicos dos serviços competentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS).
Quem pode passar o CIT: Centros de saúde do SNS; Serviços de Atendimento Permanente (SAP), Hospitais (exceto serviços de urgência) e Serviços de Prevenção e Tratamento da Toxicodependência.

O Burnout é uma doença profissional

Como já vimos a SB é uma doença causada pela relação com as questões do âmbito profissional, mas que condiciona e tem impacto noutros contextos da vida da pessoa.

Banner Anima Op - Ansiedade bom resultado

O Burnout em Portugal aumentou nos últimos anos?

Sim. Em especial no início da pandemia por covid-19, assistiu-se a um exponencial medo e stress crónico em especial nos profissionais da linha da frente, no combate à pandemia, que evoluíram de um quadro de stress para um quadro de Burnout.
Cada vez mais é importante refletir e consciencializar para a necessidade de intervenções e medidas preventivas.

Se o Burnout é uma consequência de stress crónico, isto é, stress que está presente ao longo do tempo de uma forma disfuncional, é necessário atender às variáveis que produzem e/ou podem contribuir para esta situação e averiguar as características de cada pessoa, pois sabemos que existem pessoas mais suscetíveis a desenvolverem Burnout.

De um ponto de vista mais superficial e geral, deve-se, pois, investir e trabalhar nas características internas (da própria pessoa), já as empresas deverão fazer um trabalho em compreender os fatores internos à sua organização de modo a suprimir o nível de stress tanto quanto seja possível, que por sua vez, acomete múltiplas consequências a médio/longo prazo.

5 2 votes
Classificar o artigo
  • Artigos
Psicóloga

Membro efetivo da OPP

Atualmente trabalha na Santa Casa da Misericórdia como Psicóloga Clínica e Online a título pessoal.

Instagram: @patriciamadeira.psicologa

Linkedin: Patrícia Madeira

FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Membro efetivo da OPP

Formada pela Universidade Lusíada de Lisboa - Mestrado em Psicologia Clínica.

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

Desde 2015 trabalha na Santa Casa da Misericórdia até ao momento como Psicóloga Clínica: acompanhamento psicológico desde crianças a seniores, alguns deles institucionalizados.

Intervenção clínica em contexto multissensorial (sala snoezelen)

Avaliação Psicológica e Diagnóstico

Desde 2022 trabalha como Psicóloga Clínica Online a título pessoal. Com formações ao nível de perturbações e dificuldades da aprendizagem, intervenção com crianças e jovens em risco, inteligência emocional, programação neurolinguística e recentemente, hipnose clínica.

logo Laboratorios Niam

Somos um laboratório fundado em 2014, com o objetivo de contribuir para o bem-estar das pessoas através de produtos 100% naturais de alta qualidade e avaliados por milhares de clientes.

Nossa equipa de profissionais, altamente capacitados, possuem uma larga experiência na criação e distribuição de produtos que melhoram o dia a dia de milhares de pessoas de forma natural.

COMO POSSO ENCOMENDAR ANIMAFORT MULTI®?

Online 300 509 108

cruz farmaciaNa sua farmácia com o Código Nacional Português: 6330522.

*De segunda a sexta-feira das 8 às 16h (telefone fixo nacional)

banner animaFort circulo
Ativar notificações
Notificar se
guest
0 Comentários
Feedback em linha
Ver todos os comentários